Eu por mim mesma!

Eu por mim mesma!
Voltei-me e vi debaixo do sol que não é dos ligeiros a carreira, nem dos valentes a peleja, nem tão pouco dos sábios o pão, nem ainda dos prudentes a riqueza, nem dos entendidos o favor, mas que o tempo e a sorte pertencem a todos. (Eclesiastes 9:11)

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Desabafo.


Talvez no fundo, ela só queria se sentir amada... Não é perfeita, e não admitia isso,
quis sempre agradar a todos.
Sempre conviveu num ambiente turbulento,
muitas confusões, atritos,gritos...
por isso jurou a si mesma que não iria carregar isso consigo!
Dona de uma insegurança sem tamanho,
Ela é medrosa, coleciona decepções, frustrações...
Se entrega completamente a tudo,
dá sempre o melhor de si,
e por isso acredita que deve receber o mesmo do próximo.
A carência afetiva incomoda muito,
talvez por isso o ciúmes e a possessividade caminhem juntos.
Ela sempre se frustrou tanto, errou tanto,
que quando algo bom está acontecendo, têm medo de encarar,
de viver, de desfrutar, de curtir o momento!
Hoje ela têm amigas,
um amor que não merece,

um trabalho produtivo,
cursa uma universidade...
Tudo isso ela vê e sabe o quanto é importante!
Mas com o tempo a garota que tanto gostava de maquiagem já não as usava mais, os cabelos sempre lisos, agora em desalinho,
ela se fechou pro mundo,
e imaginou estar no fundo do poço,
presa a sua amargura
e ao seu egocentrismo.
Uma menina mimada e sonhadora  que fantasia um mundo colorido,
tentando moldar as pessoas à sua maneira,
com seu temperamento impulsivo/ possessivo,
acabando por afasta-las de sua vida por puro medo de se magoar,
é extremamente exagerada em tudo,
ama sem medidas,
se entrega totalmente ao momento sem analisar possíveis conseqüências.
A intenção era apenas dormir,
esquecer todos os medos,

os traumas de infância,
queria apagar todo o sofrimento e angústia até então reprimidos,
mas quando acordou
percebeu que o esquecimento jamais irá acontecer
e que sim, o tempo irá amenizar a dor,
e a tão almeijada felicidade e auto-confiança
estavam o tempo todo dentro dela mesma,
que cega, não via.
Amigos? Estes, ela tem os melhores!
São mais até do que a mesma merece.

Amor? Ela tem um,
que com todas suas limitações a ama sem medida,
e no momento do sono profundo
segurou em sua mão e lhe disse: Eu te Amo!

Isso a trouxe de volta a vida...
à realidade!
E hoje,
mesmo com todas as frustrações,
angústias e inseguranças,

ela está feliz e se sente uma garota normal,
vivendo num mundo real...
E percebeu que é mais forte do que pensava.

J.R.F

(Poesia escrita pela minha irmã Jéssica Rodrigues Fonseca, em 01/02/2011)

Um comentário:

  1. Eu...@@
    Obrigada maninha por divulgar meu texto!

    Te Amo!
    Beijos da Jéh...

    ResponderExcluir